quarta-feira, 19 de dezembro de 2012

Confraternização da AJUPTA.

*Por Vagner Leandro.

Turma da AJUPTA

A Associação da JUventude Poética de TAbira – AJUPTA realizou no último sábado 15 de dezembro de 2012, sua confraternização de final de ano. O momento poético e festivo aconteceu na sede provisória da AJUPTA, Escola Estadual Arnaldo A. Cavalcanti. Foi um momento lindo, simples e regado de muita poesia pelos os poetas da AJUPTA.

sábado, 10 de novembro de 2012

Reunião da AJUPTA.

Membros da AJUPTA. Neste sábado, 10 de novembro de 2012, haverá reunião da AJUPTA, ás 19h00min na Escola Arnaldo Alves Cavalcanti.
Nesta reunião, vamos tratar de diversos assuntos. Sua presença é indispensável!
Agradece a Direção.

sexta-feira, 26 de outubro de 2012

ZÉ CARLOS DO PAJEÚ E PEDRO DE ALCÂNTARA NO “BELAS TARDES DE VIOLA.”

*Por Vagner Leandro
 
O Projeto Belas Tardes de Viola apresenta no próximo domingo (28) a dupla de repentistas Zecarlos do Pajeú e Pedro de Alcântara. O evento começará às 13h00min no Bar do Arroz em Tabira.

segunda-feira, 23 de julho de 2012

Projeto Belas Tardes de Viola: Mais uma edição acontece no próximo sábado (28)


O Projeto Belas Tardes de Viola apresenta mais uma grandiosa cantoria com os poetas: Biu Dionísio e Zecarlos do Pajeú.
Com a participação especial do Declamador: Júnior Guedes.
Local: Bar do Arroz – Tabira-PE
Data: 28 de Julho de 2012
Hora: 12h00min (a parti de meio dia)
Participe você é o nosso convidado especial!
Fonte: Tabira Notícias

quarta-feira, 11 de julho de 2012

Reunião da AJUPTA


A Associação da Juventude Poética de Tabira – AJUPTA convida seus Diretores e membros para uma importante reunião neste sábado, 14 de julho de 2012, ás 19h00min, na Escola Estadual Arnaldo Alves Cavalcanti. Não perca a sua participação será indispensável.
POR VAGNER LEANDRO

quarta-feira, 13 de junho de 2012

26ª edição do Projeto “Belas Tardes de Viola” acontece no domingo (24) em Tabira


No domingo (24), acontece mais uma edição do Projeto “Belas Tardes de Viola”, no Umbuzeiro do Bar do Arroz, na PE-420, em Tabira.

O evento que tem início às 11h00min, apresentará a dupla Miro Pereira e Zé Cardoso. Em breve divulgaremos o Declamador do mês.

Participe você é o nosso convidado especial!
POR VAGNER LEANDRO
Fonte: Tabira Notícias

sábado, 9 de junho de 2012

REUNIÃO DA AJUPTA É NESTE DOMINGO


A Associação da Juventude Poética de Tabira – AJUPTA convida seus Diretores e membros para uma importante reunião neste domingo, 10 de junho de 2012, ás 14h00min, na Escola Estadual Arnaldo Alves Cavalcanti. Não perca a sua participação será indispensável.
POR VAGNER LEANDRO

sexta-feira, 18 de maio de 2012

Vem aí a Festa de 1º Aniversário da AJUPTA



Será neste dia 24 de maio, na abertura da festa de emancipação política de Tabira, a festa de 1º aniversário da AJUPTA. Teremos a participação de vários poetas declamadores, da banda Suprema Corte e do trio "As severinas" . Todos estão convidados.

Reunião

A AJUPTA avisa aos seus integrantes que neste domingo, dia 20/05 às 14h, haverá reunião na Escola Arnaldo Alves. Na ocasião serão discutidos assuntos referentes a festa de comemoração do primeiro aniversário desta associação e da participação da mesma na programação do Mês Mariano. 
Belas Tardes de Viola

Poetas Tabirenses vão participar da CLISERTÃO em Petrolina



O 1º Congresso Internacional do Livro, Leitura e Literatura no Sertão (Clisertão) será realizado de 14 a 20 de maio, em Petrolina, e pretende discutir a literatura como marca identitária de um povo, além de refletir sobre ações e políticas para o setor. Palestras, conferências, apresentações de trabalhos acadêmicos nos formatos de poster ou comunicação oral, minicursos e shows integram a programação.

O projeto é realizado através da parceria entre o Governo do Estado (Fundarpe, Secretarias de Cultura e Ciência e Tecnologia) e a Universidade de Pernambuco. As inscrições gratuitas estão abertas até o dia 15 de abril e podem ser realizadas no site oficial do Clisertão: clisertao.com.

No CLISERTÃO, Dedé Monteiro conduz a “Mesa de Glosas com poetas do Pajeú”. Com os poetas Alexandre Morais, Caio Menezes, Clécio Rimas, Dudu Morais, Genildo Santana, George Alves, Gonga Monteiro e Zé Adalberto, no dia 18/05, a partir das 18h.

A mesa de Glosas, tão importante instrumento de alicerce da identidade cultural da literatura pajeuzeira, criada pela APPTA nas edições da Missa do Poeta na Cidade de Tabira, afina o tom da poesia nos festivais de literatura em Pernambuco, dando a oportunidade dos poetas tabirenses, de levar a nossa poesia além das fronteiras do Pajeú.

Já encantou pessoas no Festival Pernambuco Nação Cultural, da Mata Norte, e agora vai até o CLISERTÃO que é o Congresso Internacional de Literatura, como forma de propagar a cultura de Pernambuco através de uma política traçada pelo Secretário de Cultura do Estado, Fenando Duarte. Com informações do Assessor do Sertão, Tote Marques.
Congresso de Repentistas em Itapetim


No próximo sábado (19), a Prefeitura de Itapetim (PE), promoverá o encontro de onze duplas de cantadores, na Praça Rogaciano Leite. Os poetas participarão de mais um Congresso de Repentistas do município, que terá o poeta Zé Adalberto como apresentador.
A dupla Arnaldo Pessoa e Denilson Nunes fará a abertura do evento. Oito duplas concorrerão aos prêmios da disputa. Outras duas duplas ainda se apresentarão no congresso, após o desafio entre os poetas concorrentes.
O evento é promovido todos os anos pelo governo municipal, através da Diretoria de Cultura. Este ano, Pereira e Sofia, dois amantes da poesia, participam da organização do congresso.

João Badalo leva o poeta João Furiba de volta à Serra Talhada


João Badalo não perdeu a oportunidade de sair na foto ao lado do imortal João Furiba, poeta de primeira qualidade e dos tempos de Pinto do Monteiro. Quem imortalizou o momento foi Zelito Nunes, após encerramento da Expoidea, realizada durante o fim de semana passado em Recife-PE. João Furiba (na cadeira de rodas) estava esperando o seu ônibus retornar para Serra Talhada-PE, onde fixa residência.

terça-feira, 1 de maio de 2012

Projetos de Lei beneficiando a AJUPTA

O Governo Municipal encaminhou para Câmara de Vereadores dois Projetos de Lei que beneficiam a AJUPTA, são eles:

003/2012 - Tornar a Associação da Juventude Poética de Tabira (AJUPTA) Entidade de Utilidade Pública.

004/2012 - Concede Subvenção Social a Associação da Juventude Poética de Tabira (AJUPTA).

quinta-feira, 12 de abril de 2012

Reunião

Neste sábado dia 14/04 acontecerá uma importante reunião com os integrantes da AJUPTA, contamos com a presença de todos os integrantes.


Tuparetama está em Festa

Acontecerá nesta quinta-feira 12/04, dentro da programação da festa de comemoração dos 50 anos de emancipação política de Tuparetama, um grande festival de poetas repentista e declamadores.

(Clique na imagem para ampliar)

E na sexta-feira dia 13/04 terá show com Geraldinho Lins e a gravação do DVD da Banda Vozes do Campo. Estaremos todos lá!

quarta-feira, 4 de abril de 2012

Paulo Matricó na TV Cultura

O cantor e compositor tabirense Paulo Matricó participará nesta quinta-feira dia 05/04 do programa Sr. Brasil da TV Cultura que será exibido as 22 horas. Vamos todos prestigiar este artista da nossa terra.


(Clique na imagem para ampliar)

terça-feira, 27 de março de 2012

O blog BrindesGrátis.com se destaca em 1ºlugar

O Alexa.com, portal americano que mede a audiência
dos portais e blogs em todo o mundo, mostra o
ranking de audiência em tempo real.

O blog BrindesGrátis.com se destaca em 1ºlugar como o blog mais
acessado de Tabira!

http://2.bp.blogspot.com/-n5O43U3cDR4/T3INF6qtgUI/AAAAAAAAD6Y/_Z0wUG7s8Pk/s640/ENQUETE+PARA+BLOG.png
Pernambuco Nação Cultural


sexta-feira, 23 de março de 2012

Belas Tardes de Viola

O Belas Tardes de Viola deste próximo domingo acontecerá às 11 horas da manhã debaixo do umbuzeiro do Bar do Arroz.
Um Galope Para o Umbuzeiro


Frondoso e bonito, o velho umbuzeiro
Que brotou das fendas abertas da terra.
Cresceu num aceiro do pé de uma serra
Passando agruras o tempo inteiro.
Foi ficando forte a cada janeiro,
Mudando a paisagem que tem no lugar.
Felizes daqueles que vem contemplar,
Seu verde, a sombra e sua doçura
O doce da fruta na forma mais pura
Que o puro da brisa que sobra do mar.

(Júnior Guedes)
Parafuso de Cabo de Serrote

A mais perfeita descrição de uma bodega do interior nordestino:

Tem uma placa de Fanta encardida
A bodega da rua enladeirada
Meia dúzia de portas arqueadas
E uma grande ingazeira na esquina
A ladeira pra frente se declina
E a calçada vai reta nivelada
Forma palmos de altura de calçada
Que nos dias de feira o bodegueiro
Faz comércio rasteiro e barateiro
Num assoalho de lona amarelada.

Se espalha uma colcha de mangalho:
É cabestro, é cangalha e é peixeira
Urupema, pilão, desnatadeira
Candeeiro, cabaço e armador
Enxadeco, fueiro, e amolador
Alpercata, chicote e landuá
Arataca, bisaco e alguidar
Pé de cabra, chocalho e dobradiça
Se olhar duma vez dá uma doidiça
Que é capaz do matuto se endoidar.

É bodega pequena cor de gis
Sortimento surtindo grande efeito
Meia dúzia de frascos de confeito
Carrossel de açúcar dos guris
Querosene se encontra nos barris
Onde a gata amamenta a gataiada
Sacaria de boca arregaçada
Gargarejo de milhos e farelos
Dois ou três tamboretes em flagelo
Pro conforto de toda freguesada.

No balcão de madeira descascada
Duas torres de vidro são vitrines
A de cá mais parece um magazine
Com perfume e cartelas de Gillete
Brilhantina safada, canivete
Sabonete, batom... tudo entrempado
Filizolla balança bem ao lado
Seus dois pratos com pesos reluzentes
Dá justeza de peso a toda gente
Convencendo o freguês desconfiado.

A Segunda vitrine é de pão doce
É tareco, siquilho e cocorote
Broa, solda, bolacha de pacote
Bolo fofo e jaú esfarofado
Um porrete serrado e lapidado
Faz o peso prum março de papel
Se embrulha de tudo a granel
E por dentro se encontra uma gaveta
Donde desembainha-se a caderneta
Do freguês pagador e mais fiel.

Prateleiras são tábuas enjanbradas
Com um caibro servindo de escora
Tem também não sei qual Nossa Senhora
Com um jarrinho de louça bem do lado
Um trapézio de flandres areados
Um jirau com manteiga de latão
Encostado ao lado do balcão
Um caneiro embicando uma lapada
Passa as costas da mão pelas beiçadas
Se apruma e sai dando trupicão.

Tem cabides de copos pendurados
E um curral de cachaça e de conhaque
Logo ao lado se vê carne de charque
Tira gosto dos goles caneados
Pelotões de garrafas bem fardados
Nas paredes e dentro dos caixotes
Tem rodilha de fumo dando um bote
E um trinchete enfiado num sabão
Bodegueiro despacha a um artesão
Parafuso de cabo de serrote.

(Jessier Quirino)

E abaixo você pode conferir o áudio com o próprio poeta declamando:


quarta-feira, 29 de fevereiro de 2012

Reunião


Atenção integrantes da AJUPTA,  a próxima reunião desta associação acontecerá no domingo dia 04/03 às 14 hrs na escola Arnaldo Alves. Contamos com a sua presença.
Balaio Cultural

Grande Cantoria

No próximo sábado acontecerá mais uma grande cantoria em Tabira. O local do evento será o Salão de Antônio de Zé Moreno no sítio Fazenda Nova.


segunda-feira, 27 de fevereiro de 2012

Extra! extra! Publicação de Dez Cordéis Inéditos!




O Poeta Felipe Amaral, membro da AJUPTA e glosador participante da Mesa De Glosas de Tabira, publicará brevemente dez cordéis que dizem respeito a supostos acontecimentos fantasmagóricos que se deram na cidade de Tabira.

Diz ele que, depois de extensa pesquisa, havendo já entrevistado dezenas de personalidades-chave para o total levantamento de "subsídios narrativos" voltados aos assuntos requeridos pelos cordéis (que, aliás, disse já estarem todos redigidos e prontos a irem ao prelo), confirmou o que já "corria pela cidade", que no próximo mês de Março dará cabo à impressão e eventual publicação dos livretos. Serão eles vendidos a preço bastante módico, pois, como afirmou "não vamos dar azo à exploração usando como pretexto a cultura". Custará cada exemplar somente R$2,00.
Por desfecho, fez questão de citar nomes que figurarão na obra (ou melhor, nas obras!): Assis Brejinho - na história da "Noiva do Corredor", a qual, em tempos longínquos, "dava as caras" nos corredores da Escola Arnaldo Alves; "seu" Aristeu (pai de doutor Eduardo) - na história do fantasma do antigo açougue, que tem por título "O Malassombro Açougueiro"; Zé Guarda ou Zé de Mirôcha - na história d'A Visão de Genefride, que se deu nas dependências da Escola Carlota Breckenfeld; "seu" Nêgo Orácio - presente na história d'A Visão de Apolônio, primo seu que  (supostamente!) apareceu-lhe em uma noite de sexta-feira 13 na prefeitura municipal; Josete, mais conhecido por Bodeco, que relatou "ocorrências paranormais" dadas nas dependências do cemitério público; e outros nomes de pessoas sempre bem conhecidas na cidade e que têm muito a contar acerca de histórias que ainda povoam a imaginação de muitos dos nossos conterrâneos.
Não esquecendo ele de deixar bem claro sua desconfiança quanto aos contos, mas ressaltando o valor cultural-literário do conteúdo dos relatos apanhados, o poeta Felipe expressou sua opinião quanto a seu desejo de ver mais sendo feito por tal tipo de levamento literário-cultural, que, afinal, como disse, "demonstra a riqueza (ainda que supersticiosa, mas criativa) narrativa de um povo de tão pequena cidade, mas tão forte impulso criativo".

Desde já, ficamos no aguardo*.





*não dá pra ver, mas eu estou cruzando os dedos para que tudo dê certo. Afinal, de uma maneira ou de outra, todos temos nossas superstições! Não é verdade?

sexta-feira, 24 de fevereiro de 2012

Sem Máscaras



É quarta-feira de cinzas 
Dia de graça e desgraça 
Passa o perfume da lança 
... Passa a ressaca da taça 
Mas a saudade que fica 
É tão cruel que não passa 

Morre a batida do bumbo 
Que deu compasso à folia 
Finda um filme colorido 
Intitulado "alegria" 
Mas fica um gênio escondido 
Cochichando em cada ouvido: 
"acabou-se a fantasia" 

Passa a chuva dos confetes 
O bloco da liberdade 
O baile dos devaneios 
E o som da felicidade 
Mas, num contraste medonho, 
Fica um pierrô tristonho 
Trocando a máscara do sonho 
Pela da realidade

(Dedé Monteiro)

quinta-feira, 23 de fevereiro de 2012

O Ponto de Cultura Avisa

O Ponto de Cultura “Escola de Poesia”, comandado pela Associação de Poetas e Prosadores de Tabira (APPTA), abre as portas para a formação de novos poetas e propagadores da cultura popular.
A escola vai realizar oficinas de poesia, declamação, contação de história e teatro, com tutoria de uma turma de imortais da poesia local .
Os interessados deverão se dirigir ao Ponto de Cultura no endereço abaixo.

 

quarta-feira, 15 de fevereiro de 2012

Belas Tardes de Viola

Acontecerá neste neste mês de fevereiro mais uma edição do projeto Belas Tardes de Viola, com a dupla de cantadores Edmilson Ferreira e Antônio Lisboa e a participação do poeta declamador da AJUPTA Eniel Alves.


O Belas Tardes de Viola é um projeto idealizado pelos poetas cantadores Zecarlos do Pajeú e Zipa Nunes e acontece sempre no último domingo de cada mês no Bar do Arroz em Tabira - PE.
Cestas de Cantoria

Acontecerá dia 02/03 em São José do Belmonte, no Epaço Belo Monte Cultural, mais uma festa com apresentações diversificadas.

sexta-feira, 10 de fevereiro de 2012

Um Café Com Pão Quente às Cinco e Meia...


No mote de Dedé Monteiro:

Quando o sol se despede da campina
E a textura da nuvem muda a cor
O alpendre recebe o morador
Regressando da luta campesina
Entre os ecos da casa sem cortina
Corre um grito chamando por Maria...
E da cozinha pra sala a boca esfria
O mormaço da xícara quase cheia
Um café com pão quente às cinco e meia
Deixa a casa cheirando a poesia.

Meia hora antecede a hora santa
Às seis horas da virgem concebida
E o cálice que serve de bebida
Desce quente nas veias da garganta
Já o trigo depois que sai da planta
Faz o pão quando a massa fica fria
E o tempero da cor do fim do dia
Tem mistura de terço, fé e ceia
Um café com pão quente às cinco e meia
Deixa a casa cheirando a poesia.

(Mariana Teles)
Reunião


Aatenção integrantes da AJUPTA haverá uma importante reunião no próximo sábado dia 11/02 na escola Arnaldo Alves. Sua presença será indispensável, pois é discutida a formação da diretoria desta associação.
Crítica Cultural

Essa "infica" cantada no momento
Só tem letra imoral e fuleragem.
Não nos passa cultura nem mensagem,
Porque tem um teor muito nojento.
Essa mesma não fala em sentimento,
Só degrada a imagem do forró,
Bem distinta do verso de Dió
Que nos fala de amor e de desejo.
Nem exalta o gueirro sertanejo
Que foi tema dos versos de Filó.

(Eniel Alves)
Um Belo Mote e Uma Grande Estrofe

Certa vez José Javas pediu para Jeverson glosar este mote:

Me fere mais que navalha afiada
A saudade presente no meu peito

ele disse:

Ela foi, São Paulo sendo destino
Me deixando chorando de saudade
Eu não sei se isso é uma maldade
Maltratar o coração d'um menino
Do rumo da vida perdi o pino
Esquecer, eu tentei mas não tem jeito
Já não sei se isso em mim é um defeito
Chamar essa mulher de minha amada
Me fere mais que navalha afiada
A saudade presente no meu peito

(Jeverson Madureira 25/12/2011)
Cordel Sobre a Prevenção de Acidentes de Motos

Se você gosta da vida,
De andar e respirar,
Ouvir, cheirar e sentir,
Falar, gritar ou cantar,
E aprecia ver o mundo,
Veja o que vou abordar.

Proteja sempre seu corpo,
Cuide dele de verdade
Se pensa no semelhante,
E em sua comunidade,
Não conduza motocicleta
Em grande velocidade.

Dirigir durante a noite
Não é muito adequado
E atender o celular
É ato muito arriscado
Você pode levar um tombo
Ficando bem machucado.

Os acidentes de motos
Lotam as casas de saúde
Deixando muitos feridos
Marcados na juventude
Precisamos amenizar
Mudando nossa atitude.

Nos acidentes mais graves
Muitos deixam de andar
Alguns machucam o rosto
E não conseguem mais falar
Outros batem a cabeça
Sentindo a memória falhar.

Quem vive uma tragédia
Enfrenta transformações
Alguns desses acidentes
Provocam escoriações
E outros são tão fortes
Que causam amputações.

Mas se você tem a sorte
De ter um corpo legal,
Deve fazer um esforço
Pra mantê-lo jovial,
Pois um acidente grave
Lhe deixa num hospital.

A pessoa que se acidenta
E não pode mais andar
Aquele que perde a visão
Ou o poder de pensar,
Deve procurar os meios
Pra se reabilitar.

Geralmente o acidentado
Aguenta tudo com firmeza
Divide a dor com a família
Aumenta a sua despesa,
É obrigado a enfrentar
Momentos de incerteza.

O que chama à atenção
É a grande mortalidade
De jovens motociclistas
Da nossa comunidade
Motivo que nos obriga
Sairmos da imobilidade.

Visto que a epidemia,
Já causa preocupação,
E os leitos já não sobram,
Pro resto da população;
Vamos conscientizar
Visando a prevenção.

Se for dirigir uma moto
Nunca faça a ingestão
De cachaça ou cerveja,
Evite álcool e direção
Pois correrá muito perigo
Com essa combinação.

Se quiser mesmo ajudar
Use o capacete preso
Não ultrapasse pela direita
Mantenha o farol aceso
Isso evita uma multa
Ou mesmo que seja preso.

Pilote de forma defensiva
Usando roupa adequada
Cuidado com poças d’água
Ou estrada esburacada
Jamais corra numa pista
Que esteja toda molhada.

Evite discussão no trânsito,
Pra não causar embaraço
Não circule entre carros
Sem sinalizar com seta e braço
Lembre que alguém em casa,
O espera com um abraço.

Evite malabarismo
Ou dirigir empinado
Use joelheira e luvas,
Um calçado adequado
E repare se o pneu
Já está bem calibrado.

Não fale com o garupa
Pois tira a sua atenção
Cuidado com areia solta,
Óleo esparramado no chão
Cuide bem de sua moto
Fazendo a manutenção.

Vamos todos prevenir
Essa é a nossa solução
Comece dando exemplo
Modifique sua ação
E o número de acidentes
Sofrerá diminuição.

Sem acidentes de motos
Hospitais vão operando,
Os outros adoentados,
Que já estão esperando,
Evitando gastar com aqueles
Que estão se acidentando.

Se não há o acidente
A dor jamais prevalece
Sem gasto desnecessário;
A família agradece
Ganha a sociedade
E a paz se estabelece.

(Hélio de Araújo, 2012)

quinta-feira, 19 de janeiro de 2012

Reunião
Atenção integrantes da AJUPTA, haverá reunião neste sábado dia 21/01/2012 na Escola Arnaldo Alves às 7 horas da noite. Sua presença é indispensável pois essa reunião será muito importante.

quarta-feira, 18 de janeiro de 2012

Poeta Jeverson Madureira

Certa vez Dudu pediu pra Jeverson glosar o mote "Esquecer ninguém esquece, mas aprende a viver sem", e o poeta fez as seguintes estrofes:

Falar de mãe e de pai
Que melhores não existem
São dores que mais persistem
Quando um dos dois se vai
Mesmo no choro não sai
Esperneado também
A solução que convém
É pensar e muita prece
Esquecer ninguém esquece
Mas aprende a viver sem.

Pensando aqui sozinho
Cadê aquela beldade
Que só deixou a saudade
Maltratando um homenzinho
Que vive só em seu ninho
Lembrando daquele alguém
Que a imagem dela vem
E depois desaparece
Esquecer ninguém esquece
Mas aprende a viver sem

Não é por mulher somente
Tem também o animal
Um companheiro leal
Que sempre está presente
Que briga, mas ama a gente
E fica triste também
Quando a gente não os tem
A saudade aparece
Esquecer ninguém esquece
Mas aprende a viver sem.

(Jeverson Madureira)

terça-feira, 17 de janeiro de 2012

Belas Tardes de Viola

O projeto "Belas Tardes de Viola" apresentará domingo, dia 29 de Janeiro, a partir das 3 horas da tarde, uma grande cantoria com os poetas repentistas Ivanildo Vila Nova e Raimundo Caetano.

quinta-feira, 12 de janeiro de 2012

Pra Refletir com Gonga Monteiro

Todo mundo hoje em dia quer subir,
Não importa a escada a ser usada.
Interesse é crescer e se expandir,
Nem que faça dos outros sua escada.
A medida do ter nunca transborda,
... E quem junta pensando em comer corda
Não reparte o que sobre em sua mesa.
Hoje é riso, depois pode ser choro,
Pois, enquanto a matéria nada em ouro,
O espirito se afoga na pobreza.

Gonga Monteiro
Escola de Música Abre Inscrição

Estão abertas as incrições para a escola de música de Tabira, quem tiver interesse em aprender um instrumento de sopro, teclado, safano ou violão garanta já sua vaga na Secretaria de Ação Social na prefeitura.

quarta-feira, 11 de janeiro de 2012

Fim de Tarde


Num instante longo e calmo
A tarde perde outra guerra,
Pois o sol de palmo em palmo
Se esconde por trás da serra.
A penumbra como um véu,
Se estende cobrindo céu
Enlutando o infinito.
E as estrelas brilham tanto
Que a noite veste outro manto
Mais alegre e mais bonito.

Outro sol sofre desmaios
Por detrás daquele monte,
Soluçando tristes raios
Pelas brechas do Horizonte.
É aí que o arrebol
Toma as dores desse sol
Acudindo seus cansaços,
Traz a noite mais prendada
Que conduz a madrugada
Sonolenta nos seus braços.

O sol se deita e descansa
Numa hora como essa,
E onde a vista não alcança
A tarde dorme sem pressa.
O céu fica desbotado
D'um vermelho alaranjado,
Num perfeito dégradê.
O sol bebe dessa fonte
E depois, no horizonte,
Morre sem saber porque.

A tarde foge indecisa,
Como se tivesse medo,
E nessa hora uma brisa
Nos cochicha um segredo.
Essa brisa, do nascente,
Bate no rosto da gente,
Me cheirando a anoitecer.
Levo meu chapéu ao peito
Em um gesto de respeito
P'ro dia que vai morrer.

Júnior Guedes

terça-feira, 10 de janeiro de 2012

Eniel Manda Seu Recado
Eu prefiro escutar um repentista
Fazer verso e cantar suas canções
Ao invés de escutar “banda aviões”
Pois a mim essa banda não conquista
Eu sou mais relembrar Dimas Batista
... Que hoje faz seu repente lá no céu
Do que ouvir essa música do "créu"
Que só tem desrespeito e baixaria
Diferente da nossa cantoria
Que já deu a Valdir muito troféu

Eu não troco o forró das Severinas
Pelo ritmo tocado na balada
Nem escuto essa tal “Saia Rodada”
Que não mostra a riqueza das campinas
Nem descreve as belezas nordestinas
Que nos servem de grande inspiração
Pra fazer em soneto a descrição
Como faz nosso Zé de Mariano
Que através do seu verso soberano
Dá destaque a cultura do Sertão.

Não sou contra a quem "quica na latinha"
Mas não curto esse jeito de dançar
O que eu curto é “Apreço a meu lugar”
Grande obra de um vate da terrinha
Matricó, tabirense, gente minha...
Descendente de Albino lutador
Menestrel, um poeta glosador
E também muito bom no bacamarte,
Segidor desse estilo e dessa arte
Preservando isso tudo com amor!

Não me atrai essa dança do “kuduru”
Nem o ritmo da tal "dança da rã"
Me perdõe quem das mesmas seja fã
Que esse tipo de coisa eu não aturo
Isso tudo pra é sem futuro
Pois eu gosto é de ver Dedé Monteiro
Recitar com seu jeito verdadeiro
Seus poemas de amor a nossa terra
O matuto valente e o pé da serra
E o valor desse chão pajeuzeiro!"

Eniel Alves
Reunião
Atenção integrantes da AJUPTA, haverá reunião neste sábado dia 14/01/2012 na escola Arnaldo Alves ás 19 horas, sua presença será indispensável.